Últimas

6/recent/ticker-posts

Ana Lídia Daibes jornalista da TV Rondônia foi para a bancada do Jornal Nacional neste sábado (21)

 A apresentadora do bom dia Amazonia e do Jornal de Rondônia, foi umas das atração do Jornal Nacional neste sábado (21), pela Rede Globo.

O Jornal Nacional vem comemorando seus 50 anos convidando para a bancada, a cada sábado, uma dupla de jornalistas que apresentam telejornais nos 26 estados e no Distrito Federal.

O nome de Rondônia foi uma homenagem ao marechal Cândido Rondon, que desbravou a região. Até os anos 1950, menos de 40 mil brasileiros viviam lá. Agora, são mais de 1,7 milhão. Eles acompanham o Jornal Nacional pela TV Rondônia afiliada Rede Amazônica.



O nome de Rondônia foi uma homenagem ao marechal Cândido Rondon, que desbravou a região. Até os anos 1950, menos de 40 mil brasileiros viviam lá. Agora, são mais de 1,7 milhão. Eles acompanham o Jornal Nacional pela Rede Amazônica.

O Rio Madeira corta o estado e abriga mais de mil espécies de peixes. No Madeira estão duas importantes hidrelétricas: Santo Antônio e jirau.

O ciclo da borracha estimulou a construção da ferrovia Madeira-Mamoré. Foram descobertas jazidas de minério de estanho, diamante e ouro.

Veio a pecuária e a produção de grãos e a exportação de madeira passaram a ser fundamentais para a economia.

O Rio Madeira corta o estado e abriga mais de mil espécies de peixes. No Madeira estão duas importantes hidrelétricas: Santo Antônio e Jirau.

Esses profissionais representam um pouco da história e dos sotaques de cada estado brasileiro e a dupla que vai apresentar o JN no sábado (21) é Ana Lídia Daibes e Philipe Lemos.

A floresta preservada está concentrada nas unidades de conservação e em terras indígenas, que abrigam índios de 20 etnias.

O Philipe Lemos vai ser o representante do Espírito Santo.

O café mudou a economia e redistribuiu a população do Espírito Santo. Até o século 19, os moradores se concentravam no litoral. Imigrantes foram cultivar o café na região serrana.

A agricultura, a produção de petróleo e minérios, o turismo e a indústria são a base da economia.

O Jornal Nacional chega aos quatro milhões de capixabas pela TV Gazeta.

O porto de Vitória é um dos mais movimentados do país. Em Vila Velha está o convento da Penha, construído no alto de um morro. Há 60 anos, em comemoração a Nossa Senhora da Penha, padroeira do estado, fiéis fazem a romaria dos homens.

A moqueca capixaba é patrimônio cultural do Brasil.

Na temporada de reprodução, baleias jubarte se aproximam da costa e atraem turistas e pesquisadores.

Postar um comentário

0 Comentários