Últimas

6/recent/ticker-posts

Concentração de mercúrio no rio Madeira prejudica desenvolvimento neurocognitivo de crianças



Um estudo realizado com 263 crianças de comunidades ribeirinhas de Rondônia associou níveis de mercúrio no cabelo dos participantes a um menor desempenho em testes de funções neurocognitivas. Publicada no periódico Neurotoxicoloy, a pesquisa foi feita com crianças em idade escolar (de 6 a 14 anos) da região do rio Madeira, um dos principais afluentes do rio Amazonas. Nela se refere que o tóxico é consumido em forma de metilmercúrio (MeHg) nos peixes.

As crianças com maiores níveis de mercúrio no cabelo tiveram pior desempenho em tarefas neurocognitivas. A cada 10 μg/g a mais no nível de mercúrio, o desempenho diminuiu meio desvio padrão em quociente de inteligência (QI) verbal, escores de QI estimados, conhecimento semântico, fluência verbal fonológica e memória operacional verbal e visuoespacial (análise controlada por idade, sexo e educação materna).

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o valor de referência para níveis aceitáveis de mercúrio em humanos é de até 2 μg/g. Embora a mediana da população do estudo tenha sido próxima a este valor (2,05 μg/g), metade da amostra apresentou níveis acima do ponto de corte para risco à saúde humana. E 25% das crianças apresentaram níveis que variaram de 4,03 μg/g a 21,75 μg/g, o que significa que um grande grupo apresenta níveis de exposição muito superiores ao recomendado pela OMS.
Fonte - Revista.painelpolitico




Postar um comentário

0 Comentários