COVID-19: SISTEMA PRISIONAL DE RONDÔNIA TEM 52 CASOS CONFIRMADOS E 118 SUSPEITOS.

Dados atualizados nesta segunda-feira (01/06).




Os casos da COVID 19 – novo Coronavírus, que já matou milhares de pessoas em todo mundo estão a cada dia crescendo no Estado de Rondônia e os números repassados diariamente pelo Governo confirmam a presença da doença em vários setores. No sistema prisional e socioeducativo, que juntos abrigam mais de 10 mil reclusos, entre detentos e menores infratores não é diferente, onde os dados atuais apontam que o Sistema Prisional já enfrenta seríssimos problemas com  a Covid-19 no sistema prisional  de Rondônia, onde dados desta segunda-feira apontam 52 casos confirmados e 118 suspeitos.

Para piorar a situação os Polícias Penal também estão expostos na linha de frente, e começa a ser fator de preocupação para autoridades de saúde, devido ao grande risco que estão expostos, podendo levar isso para o seus familiares, aumentando ainda mais a contaminação que já é grande em vários setores da sociedade rondoniense. 

Segundo Informações do Jhnoticias:
Os servidores relatam que os números podem ser ainda maiores, devido a alguns deles não ter conseguido realizar testes, exames para confirmação da patologia ou não. Os profissionais apontam, que além de toda insegurança física dentro das unidades, agora passaram a conviver diretamente com o risco de contraírem a perigosa doença e ainda levarem para o seio de sua família, com risco de perder um ente querido, pai, filhos, esposa e outros.

Os riscos se não combatidos pode aumentar os número e gerar um verdadeiro colapso no sistema, que por tabela geraria um verdadeiro caos na saúde pública, que padece com a proliferação da COVID.

Devido a crescente dos casos, a tensão aumenta entre um plantão e outro causando total desconforto entre os trabalhadores, que convivem com celas superlotadas, ambiente totalmente hostil, conturbado por conta de guerras entre facções, tentativas de fugas e presença de diferentes doenças.

Na intensa batalha pela segurança carcerária, que diretamente assegura a população num todo, os servidores clamam por reconhecimento do poder público, que muitas das vezes os deixam a margem de outras classes.

Mesmo com toda batalha e exposição a diferentes casos, os servidores do sistema prisional e socioeducativo ficaram de fora do auxilio emergência cedido pelo Governo do Estado no valor de R$ 300, 00. A situação injusta deixou inúmeros trabalhadores descontentes e principalmente sem intenderem o porquê da não inclusão das classes no beneficio, que alcançou demais órgãos da segurança publica. A classe espera que o Governo, Casa Civil reveja a situação e seja sensível na busca para uma solução, desta que se tornou uma problemática.

Dos servidores que foram infectados, um Agente de Segurança Socioeducativo está em coma induzido devido a gravidade da doença.

 

DA - Redação

Postar um comentário

0 Comentários