Energisa leva Programa de Eficiência Energética a escolas municipais


Fonte Energisa

Em três dias, mais de mil lâmpadas e treze geladeiras de seis escolas municipais e duas entidades filantrópicas de Porto Velho foram trocadas pela Energisa. A iniciativa faz parte do Programa de Eficiência Energética (PEE), projeto que visa levar soluções de economia de energia e ações de conscientização sobre o uso racional desse insumo essencial no dia a dia.  

As obras foram realizadas enquanto os estudantes permanecem em casa, para evitar a contaminação pela Covid-19. A expectativa é que eles sejam diretamente beneficiados no retorno às aulas com sala mais claras e também com iniciativas educativas. O caminhão Nossa Energia, que faz parte do programa e oferece atividades lúdicas para a conscientização do melhor uso da energia, passará por todas as unidades assim que os alunos estiverem de volta.  

As ações do PEE acontecem em Rondônia desde outubro do ano passado. O PEE atende consumidores residenciais de baixa renda, associações de bairro, creches, escolas e hospitais públicos. Nessa etapa, foram atendidas as escolas municipais Mãe Margarida, São Miguel, Eng. Walder Adão Denny Siqueira, Som da Graviola,Flamboyant I e Pingo de Gente além da associação beneficente educacional Nova Aliança e São Tiago Maior. 

Segundo Talis Henrique Alcantara, coordenador de Eficiência Energética, foi feito um plano de ação para que o projeto continuasse funcionando mesmo durante a pandemia. “Queremos continuar beneficiando nossos clientes, então buscamos alternativas para manter o trabalho de forma segura para nossos colaboradores e para a população. Adequamos a programação para que os alunos tenham uma escola iluminada e mais confortável no retorno às aulas presenciais”. 

Localizada no bairro Jardim Santana, a Escola Municipal de Educação Infantil Mãe Margarida, que atende mais de 450 estudantes, foi uma das beneficiadas com a troca de mais de 400 lâmpadas de LED, que têm longa durabilidade e economia substancial em relação às lâmpadas comuns. Para diretora da instituição, Rosana Brito Dartiballe, a substituição das lâmpadas veio no momento certo, pois nem todos os bocais tinham iluminação adequada. “Quando bate o sol nós temos que fechar as cortinas e acender as luzes para não prejudicar a visão dos nossos alunos, nem sempre o que tinha nas salas era o suficiente, pois não tínhamos recursos para preencher as luminárias duplas”. A diretora ressalta que outro ponto positivo é a segurança. “Durante a noite, mesmo que não tenha aula precisamos deixar as luzes ligadas para evitar invasões na escola. Agora, a equipe pedagógica fica tranquila, pois foram trocadas também as lâmpadas de toda a parte externa, corredores e depósito”, completa. 

Na escola Eng. Walder Adão Denny Siqueira, foram substituídas 277 lâmpadas fluorescentes por LED. A diretora Marcia Cristina explica que a falta de recursos para a instituição limitava a compra de lâmpadas novas. A troca só era realizada quando alguma queimava. “Agora que conseguimos apoio da Energisa, vamos poder utilizar esse recurso economizado para comprar papel e cartucho de tinta, material muito utilizado nesse momento de pandemia para imprimir a atividade dos alunos”, conta.

Postar um comentário

0 Comentários