Últimas

6/recent/ticker-posts

Justiça decide que acusado de matar filho de jornalista a facadas em Porto Velho vai a júri popular

 João Luiz da Silva Filho, acusado de matar, em abril deste ano, Alberto de Carvalho Andreoli vai a júri popular de acordo com decisão da Justiça Estadual. O crime aconteceu no dia 12 de abril deste ano, no bairro Embratel, em Porto Velho. Alberto era filho do Jornalista Paulo Andeoli, dono do site de notícias Rondoniaovivo.

Crime aconteceu em abril de 2020, no bairro Embratel. Dez testemunhas foram ouvidas durante a fase de instrução do processo, que teve o autos recebidos nesta quinta-feira (17) pelo MP; G1 tenta contato com a defesa do acusado.



O acusado foi preso ainda na noite do crime e a denúncia do Ministério Público (MP-RO) foi aceita pela Justiça no dia 4 de maio. Dez testemunhas foram ouvidas durante a fase de instrução do processo, que teve o autos recebidos nesta quinta-feira (17) pelo MP.


João Luiz responde por homicídio qualificado por motivo fútil porque, segundo apurado nas investigações, Alberto, de 31 anos, teria sido morto por ter quebrado um capacete do agressor. Além disso, o réu é acusado de usar recurso que dificultou defesa da vítima e matá-la por meio cruel.


Conforme a denúncia do MP, "ao ver a vítima no chão já sem reação, segurou-a pelos cabelos e começou a esfaquear a vítima por cerca de dois minutos, aumentando inutilmente o sofrimento dela, revelando uma brutalidade fora do comum e em contraste com o mais elementar sentimento de piedade", destacou a acusação.


Conforme a ocorrência policial, a vítima foi morta com 10 facadas, que atingiram o tórax, barriga e perna. Câmeras de segurança filmaram a ação e fazem parte do processo criminal. O então suspeito fugiu do local usando uma motocicleta, mas foi localizado e preso pouco tempo depois do homicídio.


A partir da publicação da sentença de pronúncia, defesa e acusação devem apresentar as testemunhas para depor em plenário e, em seguida, o juiz deve determinar a inclusão do julgamento em pauta.

Fonte G1/RO.


Postar um comentário

0 Comentários