Últimas

6/recent/ticker-posts

Fiocruz diz que três variantes do coronavírus já em investigação pelo mundo foram achadas em Rondônia

 Novas variantes já são conhecidas, circulam no país e preocupam. Governador pede que população mantenha as medidas de restrição.


A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) de Rondônia disse nesta terça-feira (9) que encontrou três variantes do coronavírus circulando no estado: a B.1.1.28 (de linhagem brasileira), a P2 (variante encontrada inicialmente no Rio de Janeiro) e a B.1.1.33 (que aparece em países da América Latina e América do Norte).


As análises foram feitas com base em amostras coletadas em diferentes cidades do estado, entre elas: Porto Velho, Rolim de Moura, Alvorada do Oeste, Ariquemes e Cacaulândia.


Segundo Deusilene Vieira, pesquisadora em saúde pública da área de virologia da Fiocruz, em Rondônia, as variantes podem estar associadas com possíveis casos de reinfecção e escape diagnóstico.


"O ideal é que todas as medidas restritivas sejam cumpridas. Quanto mais a população quebrar as regras de distanciamento, mais promovemos essa transmissão. Então o pronto principal é a população se conscientizar que na nossa região há variações", disse a pesquisadora.

Be-a-bá do vírus: entenda o que é mutação, variante, cepa e linhagem

Entenda o que se sabe sobre as mutações até agora

LEIA MAIS: Especialistas dizem que variante brasileira tem potencial de reinfectar quem já teve Covid

O governo de Rondônia já foi informado sobre a situação. Nesta terça-feira, o governador Marcos Rocha pediu que a população escute os cientistas e respeite o distanciamento social.

"Nós chegamos ao nosso limite. Não temos mais como aumentar o número de leitos de UTI, estamos enviando pessoas para fora do estado. Então se for sair de casa use sua máscara e lave as mãos. Se for sair para comprar alguma coisa no comércio não leve crianças. Vá sozinho", disse o governador.


Mesmo com o colapso no sistema de saúde, durante a live, o governador descartou a possibilidade de um fechamento total do comércio. Ele argumentou que o estado passou por três períodos de medidas mais restritivas e eles "não foram suficientes para frear completamente a pandemia".


Para os cientistas, quanto mais a população estiver circulando, maior a possibilidade que novas variantes apareçam.

"Sabemos que o momento é difícil, todo mundo está cansado de ficar em casa, mas precisamos de tempo para conter a pandemia. Iniciamos 2021 com esperança, que é a vacina, mas ela não vai resolver imediatamente todos os problemas do mundo", disse Deusilene Vieira.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), as principais variantes estão se espalhando rapidamente por todo o mundo. Entre elas, estão:

a B.1.1.7 (britânica), que já está em 80 países,
a B.1.351 (sul-africana), circula em 41 países e,
a variante identificada no Brasil B.1.1.28
A variante brasileira, segundo a Fiocruz, tem duas ramificações: a P.1 (encontrada inicialmente no Amazonas) e a P.2 (encontrada no Rio de Janeiro).

Números da pandemia em Rondônia
Até o momento o estado registou 133.113 casos confirmados de Covid-19 e 2.391, sendo 946 casos e 22 óbitos confirmados nas últimas 24 horas, segundo boletim diário das Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) e Secretaria de Estado da Saúde (Sesau). Nesta terça, estão internados nos hospitais 660 pacientes.


Fonte - G1/RO.






Postar um comentário

0 Comentários