Últimas

6/recent/ticker-posts

Polícia faz reprodução simulada para elucidar morte de jovem de 20 anos em Porto Velho

 Vítima identificada como Glória Estefane foi encontrada morta com um tiro na nuca no dia 21 de março. Esposo é o principal suspeito do crime.

A Polícia Civil fez nesta segunda-feira (17) uma reprodução simulada dos últimos momentos de vida da jovem Glória Estefane, de 20 anos, na casa onde ela morava com o esposo em Porto Velho.


Estavam na casa no bairro Mariana delegados, peritos, técnicos da Polícia Civil e o suspeito do crime, de 30 anos. Ele era esposo da vítima e está preso desde o dia da morte da companheira.


Ele deu detalhes durante o procedimento do que ocorreu naquela noite. Na versão dele, a mulher se matou com um tiro no pescoço, mas a polícia tem dúvidas e outra linha de investigação aponta para o crime de feminicídio.


"Só tinha ele e ela no local. Ela morreu e nós temos dúvidas a respeito de determinados pontos do que aconteceu durante o evento. Então essa reprodução nos auxiliará muito para dar um fechamento nas investigações. A gente chama a perícia juntamente com o histórico que temos nos autos", disse o delegado Carlos Eduardo.

CASO GLÓRIA: entenda o crime

Momentos após a morte da jovem um boletim de ocorrência foi registrado como morte a esclarecer. Inicialmente o esposo da vítima disse aos policiais que o casal estava consumindo bebida alcoólica com alguns amigos e, em certo momento, começaram a discutir por ciúmes. Em seguida el

Ele afirmou que chamou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas a jovem não resistiu aos ferimentos. Após o relato do homem, a polícia percebeu que a situação deveria ser melhor investigada, pois no interrogatório foram observadas contradições na versão dele.


"Além de uma postura incongruente com o relato dele, como por exemplo, ao invés de ficar próximo da vítima até a vinda do Samu, ele saiu do local e foi pra casa da mãe lavar as mãos", informou o delegado Pedro Henrique, na época do fato.


Segundo as investigações há indícios que o homem teria forjado situação para parecer suicídio. Um laudo será feito depois da reprodução simulada com as conclusões da polícia e da perícia.

Fonte G1/RO.


Postar um comentário

0 Comentários