Últimas

6/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

Alt da Imagem

Aumento no número de mortes de ex-presidiários chama a atenção de policiais

São vários os casos na capital e as investigações apontam para diferentes motivos para esses crimes.


 O número de homicídios em Porto Velho tem sido alarmante nos últimos 45 dias. Foram registrados 24 crimes de assassinatos no período de dezembro até janeiro. Deste total, nove são ex-presidiários mortos a tiros.  

 

A Delegacia Especializada em Crimes Contra a Vida (DECCV) vem apurando os assassinatos, as autorias e as motivações para esses crimes. 


A maioria dessas mortes, segundo fontes policiais ligadas ao site, tem como razões principais: acerto de contas, dívidas de drogas, passional e briga entre facções criminosas.

 

Nessa onda de violência na capital rondoniense, está o assassinato do casal identificado como R. M. M., 30 anos, e G. A. de S., 29 anos, ocorrido no dia 27 de dezembro do ano passado. 


O crime aconteceu em um apartamento no bairro Aponiã. A mulher estaria inclusive grávida e morava recentemente com o atual marido. A polícia apura se a motivação do crime foi passional, mas já se sabe que R. tinha passagens pela polícia.

 

No dia 25 de dezembro, em pleno Natal do ano passado, o jovem Á.T.  A., 21, foi perseguido e morto no quintal de uma residência na Avenida Mamoré, na zona Leste de Porto Velho. Nesse crime, conforme a polícia, o motivo teria sido uma discussão durante bebedeira em um bar.

 

1º do ano

 

Já no primeiro dia do ano de 2022, dois ex-presidiários também acabaram mortos. C. F. B., 40, foi assassinado à facadas nas primeiras horas da manhã do dia 01, na rua Jandaia, próximo à rua Goiás, no bairro Tucumanzal, em Porto Velho (RO).

 

Conforme o site apurou, o homem foi encontrado morto com 10 facadas na varanda de uma residência. O proprietário da casa disse que ao sair para trabalhar se deparou com a vítima morta e não tem informações de quem foi o autor do crime.

 

O segundo crime, aconteceu durante a parte da tarde do mesmo dia, e teve como vítima E. M. da C., 35. O crime foi a tiros, na Rua União, próximo à Vila Mariana, no bairro São Francisco.

 

O homem teria, segundo as investigações policiais, se envolvido em uma confusão em um bar na região e após sair do local foi seguido por dois acusados em duas bicicletas. Pelo menos cinco cápsulas de pistola calibre 380 foram recolhidas na cena do crime.

 

A vítima foi executada com vários tiros e caiu ao solo. E. também já havia cumprido pena no sistema prisional rondoniense e portava uma arma de fabricação caseira e uma faca. Os agentes da Homicídios também seguem nas investigações desses crimes.

 

Motoneta

 

Na véspera de ano novo já havia sido morto a tiros, o ex-presidiário E. de S. P., 32, conhecido como “Ganso”. Relatos de testemunhas contaram que ele caminhava pela rua Catalão, bairro Jardim Santana, na zona Leste da capital, quando foi surpreendido por um indivíduo que chegou em uma moto de 50 cilindradas.

 

Ganso foi atingido por vários tiros e caiu agonizando. O autor do crime fugiu do local tomando rumo ignorado. E. em estado grave foi socorrido em uma ambulância do Samu e encaminhado ao Hospital João Paulo II, mas não resistiu aos ferimentos.

 

Outro crime envolvendo ex-apenados, terminou com o assassinato de U. G. R., 35, no condomínio Morar Melhor, na zona Sul da capital rondoniense. O ex-presidiário, que também era conhecido por ‘polegar’, estava com familiares vendendo espetinhos no momento em que dois homens em uma motocicleta XT660 de cor preta chegaram.

 

Um deles desceu e armado atirou pelo menos 10 vezes contra a vítima que ainda chegou a ser socorrida, mas morreu na UPA Sul.

 

Os autores do crime fugiram e a Polícia Militar foi chamada. Através de troca de informações e da placa da motocicleta usada no crime, os militares chegaram até uma residência na Rua Carlos Reis, bairro São Francisco.

 

O acusado ainda demorou para abrir a porta, porém, com o cerco montado pelas equipes da PM ele acabou preso. M. A.R. N., 30, que já tem passagem pelo crime de homicídio nega participação no assassinato de U., vulgo “Polegar”.

 

A motocicleta que teria sido usada no assassinato foi apreendida, mas a arma e o outro envolvido ainda estão sendo procurados. 

 

Bolívia

 

Um outro crime envolvendo ex-presidiários que chamou a atenção dos policiais foi a morte de F. R. M. C., 44. Ele foi assassinado na Bolívia com vários tiros. Ele estava em uma residência e foi morto na frente de um amigo que também acabou baleado. A polícia boliviana investiga a motivação e autoria do crime.


No último dia 17 de janeiro, o ex-presidiário G. J.S. da S., 24, conhecido também por ‘J.’ morreu no hospital João Paulo II. Ele havia sido baleado com dois tiros na Rua David Canabarro com Rua Rocha Vieira, bairro Costa e Silva, na zona Norte de Porto Velho (RO).

 

O rapaz foi alvejado com tiros nas costas. Populares disseram que só ouviram os disparsos e quando saíram de casa encontraram o jovem caído no chão. 


Requintes de crueldade

 

Na última quinta-feira (20), um homem identificado por M. B. F. F., 24, foi morto com requintes de crueldade em uma vila de apartamentos abandonada na Rua Barão do Amazonas, bairro Mariana, na zona Leste de Porto Velho (RO).

 

O jovem teve mãos e os pés amarrados e depois foi morto com pedradas na cabeça. O corpo dele foi encontrado na noite de quinta-feira (20) pela Polícia Militar após denúncia de populares.

 

Agentes da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Vida (DECCV) estão apurando o caso e não descartam nenhuma linha de investigação. O jovem era morador de Manicoré (AM) e estava há três meses residindo com um irmão em Porto Velho.

Fonte: rondoniaaovivo

Postar um comentário

0 Comentários