Estudantes repatriados da Bolívia chegam em RO e passam por triagem de saúde por Covid-19

Grupo de 173 alunos de medicina desembarcou em Porto Velho na madrugada desta quinta-feira (23). Todos serão monitorados devido a pandemia do novo coronavírus.



Mais um grupo de estudantes rondonienses que foram repatriados da Bolívia desembarcou em Porto Velho na madrugada desta quinta-feira (23). No total, 172 alunos de medicina chegaram no posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF), perto de Candeias do Jamari (RO), onde passaram por triagem de saúde por causa da pandemia do novo coronavírus.

A ação é desenvolvida pelo Governo de Rondônia, que objetiva ajudar brasileiros a retornarem ao Brasil desde o período em que as fronteiras foram fechadas para evitar a disseminação do vírus, o que deixou a Bolívia em estado de emergência nacional.

Os estudantes passaram por procedimentos para checar possíveis sintomas do coronavírus Sars-Cov2 ainda na Bolivia e repetiram o processo no Brasil. Durante a viagem, os alunos usaram máscaras e tiveram à disposição álcool em gel. A medida de distanciamento entre cada um dos repatriados também foi implantada.

Na semana passada, mais de 150 estudantes de Rondônia foram repatriados ao Brasil. Segundo o Governo do Estado, os alunos saíram das cidades bolivianas Cochabamba e Santa Cruz de La Sierra, sob recomendação do Ministério das Relações Exteriores e do consulado brasileiro.

No total, o Estado informou já ter repatriado mais de estudantes de medicina e que, chegando em solo brasileiro, passam por monitoramento, além de preencherem um formulário com dados pessoais para que sejam acompanhados diariamente por profissionais de saúde.


O governo revelou ainda que, até o momento, nenhum estudante repatriado teve alteração na saúde.

Emergência sanitária
A Bolívia declarou emergência sanitária nacional e quarentena total com toque de recolher em todo o território, no dia 17 de março. No fim daquele mesmo mês, o país confirmou a primeira morte oriunda da doença.

No dia 7 de abril, o prefeito de uma cidade na Bolívia foi preso por permitir uma festa religiosa que se tornou o foco de contágio da Covid-19, com seis infectados e um morto.

O chefe da polícia de investigações de La Paz, Iván Rojas, informou que o prefeito Tiburcio Choque, da cidade de Patacamaya (sul de La Paz), foi acusado "pelos crimes de ataque à saúde pública, perigo de destruição e quebra de deveres ".

Tiburcio foi denunciado pelo Ministério Público por permitir uma festa religiosa de cinco dias (de 12 a 16 de março), na qual participaram cerca de 600 convidados de outras partes do país.

Na época da festividade, o governo boliviano havia determinado a suspensão de eventos públicos que reunissem mais de cem pessoas.

Fonte- Princesa Web

Postar um comentário

0 Comentários