Levantamento junto ao comércio, mostra que consumo de bebida de álcool e de carne aumentou durante a pandemia

Alta Floresta D' Oeste

Com o aumento dos casos de COVID-19 no município, e também como muitas denúncias estão chegando, o site Portal Princesa Web fez um levantamento junto ao comércio do município de Alta Floresta, para buscar informações do consumo de carnes e bebidas de álcool no município. Após fazermos um levantamento de vários comércios, setores como supermercados, se descobriu que o aumento em consumo de bebidas de álcool, principalmente cerveja, aumentou em média mais de 40%, onde em alguns casos, um comerciante chegou a dizer que dobrou as vendas de cerveja e que carne também teve aumento expressivo, chegando a comercializar um valor mensal de mais de 35 mil. 

Segundo o mesmo comerciante, antes da pandemia, esse valor variava de 18 a 20 mil por mês. A suspeita, conforme muitas denúncias que vem chegando a conhecimento, festinhas, principalmente familiares, estão acontecendo de uma forma jamais vista antes, grupos de amigos também estão aproveitando as restrições para realizar este tipo de evento de forma clandestina, um dos fatores que pode se explicar do porque esse aumento tão relativo do consumo de carnes e bebidas alcoólicas. 

Até aí, não haveria nenhum problema se não estivéssemos no meio de uma pandemia, onde as consequências infelizmente são gravíssimas, pois coloca em cheque todo um trabalho realizado por equipes que estão no enfrentamento da pandemia, equipes essas que estão esgotadas, trabalhando contra um inimigo invisível, com equipamentos, muitas vezes, que não são eficazes na proteção, colocando esses profissionais e seus familiares em situação vulnerável.

Outro fator que precisamos relatar, conforme uma funcionária que trabalha na Unidade Sentinela nos relatou que infelizmente as pessoas não valorizam todo esse esforço e muitas vezes vão para os laboratórios particulares fazer exames, onde depois começam a criticar a equipe que está a frente de um trabalho, onde atendeu mais de 800 pessoas no município, críticas essas que infelizmente só servem para desmotivar uma equipe que está na linha de frente no enfrentamento, com um grupo de pessoas muito limitadas, onde ninguém quer ir prestar serviços, devido aos altos riscos que se submetem. 

Outra situação muito importante é a ala hospitalar que foi preparada para receber pacientes suspeitos ou confirmados que precisam de internamento. Nesta ala podemos entrar e acompanhar de perto a dura rotina de profissionais de saúde que estão dentro de uma ala totalmente restrita, montada de forma improvisada, pois quando se preparou a mesma, não se tinha muito conhecimento de como se montar uma ala para tratar pacientes de COVID-19, se imaginava que logo teríamos o pico e a diminuição dos casos, mas o que aconteceu foi o contrário, até hoje não se sabe se estamos no pico ou vai aumentar ainda e isso é a grande preocupação desses profissionais que estão dentro dessa Unidade.




Já que, o tempo exposto a isso, com uma estrutura que não parece ser adequada deixa muitas dúvidas e uma certa sensação de abandono, pois como se trata de uma pandemia, ninguém estava preparado para enfrentar isso e o que resta a esses profissionais é torcer para que a população colabore, a fim de superar essa pandemia. O município por sua parte fez aquilo que era possível fazer dentro do conhecimento que se tem sobre o assunto, mas talvez como tudo é muito novo, há alguns aspectos que precisam ser reavaliados para tentar se melhorar a proteção dessas equipes que estão na luta diária contra a pandemia.
Fonte - Airton Jose - Portal Princesa Web

Postar um comentário

0 Comentários