Últimas

6/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

Alt da Imagem

Família de motociclista, que teve perna decepada e que foi parar em fio de alta tensão, faz vaquinha para pagar cirurgia em RO

 


 No último dia 09 de janeiro, Adeley Aparecido de Oliveira, de 41 anos, sofreu um grave acidente de trânsito, onde teve parte de uma das pernas decepada ao bater de frente contra um carro no Km 30, da BR-429, no distrito de Terra Boa em Alvorada do Oeste. Relembre aqui.

Segundo informações do motorista do carro, um idoso de 79 anos, disse que trafegava sentido São Miguel quando percebeu que o motociclista vinha no sentido oposto. Ele teria tentado evitar a batida, mas houve a colisão frontal, onde a perna da vítima foi arrancada e ficou pendurada em um fio de alta tensão.

Essa informação é contestada pela família de Adeley. Segundo eles, o motorista não percebeu a motocicleta da vítima se aproximando no sentido contrário da estrada e, ao desviar de um buraco, bateu na lateral da moto. Foi nesse momento, que a perna de Adeley foi arrancada.

 
EXPECTATIVA


Adeley que é motorista e tem quatro filhos, foi encaminhado a um hospital de Alvorada do Oeste, e depois, transferido para uma outra unidade de saúde particular em Cacoal. Atualmente, ele está no Heuro, de Cacoal.

O último boletim médico dele, divulgado na tarde do domingo (16), aponta que ele “continua entubado na UTI, onde realizada hemodiálise com troca de medicações. Ele teve picos febris, mas até o momento, foi preciso fazer várias transfusões sanguínea, onde não teve mais hemorragias. Os sinais vitais e a hemodinâmica estão estáveis”.

O irmão da vítima, Ademir César, entrou em contato com o Rondoniaovivo, onde explicou toda a situação. Ele contou que Adeley se encontra em estado grave, mas já foi operado em Cacoal, o que evitou que houvesse uma transferência para Porto Velho, o que seria muito arriscado no atual estágio do motorista.

SOLIDARIEDADE


De acordo com a família da vítima, os gastos só aumentam, por conta do estado de saúde grave em que Adeley se encontra. “Não estamos podendo ir vê-lo na UTI, por conta dos casos de Covid e da gripe. Só boletim médico e vídeochamada. Caso haja alguma intercorrência, aí eles nos ligam. Tiveram que fazer um procedimento no Heuro, de Cacoal, para salvar a perna direita dele e gastamos R$ 2.800 com uma ambulância com UTI, sendo 1.400 de ida e 1.400 da volta. Pegamos dinheiro emprestado para fazer isso”, lamentou o irmão.

Segundo César, há muitos gastos com Adeley, por isso está sendo feita uma vaquinha virtual para fazer uma cirurgia e salvar a vida do irmão, chamado de “filtro de coagulação de veia cava inferior”, que vai custar R$ 28 mil.

“São gastos referentes a ambulância, médico [cirurgião vascular], sala de cirurgia, anestesista e material usado no procedimento. Estamos fazendo essa vaquinha para pelo menos pagar essa cirurgia, importante para salvar a vida do meu irmão e a perna direita. O resto, vamos pegar notas e acionar o seguro depois para pagar”, afirmou César Aparecido.

“São gastos referentes a ambulância, médico [cirurgião vascular], sala de cirurgia, anestesista e material usado no

procedimento. Estamos fazendo essa vaquinha para pelo menos pagar essa cirurgia, importante para salvar a vida do meu

irmão e a perna direita. O resto, vamos pegar notas e acionar o seguro depois para pagar”, afirmou César Aparecido.

CLIQUE AQUI para colaborar com qualquer quantia para ajudar a família de Adeley.




Fonte: rondoniaovivo

Postar um comentário

0 Comentários